quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Série dos 3 artigos e artigo científico no portal da SBGC

Prezados Colegas,

Visando facilitar a leitura e a disponibilidade dos meus artigos on-line, a série de 3 artigos mais o artigo científico sobre GC e CRM estão disponíveis no portal da SBGC no formato PDF.

Seguem os links para acesso:

Série dos 3 artigos:

- As faces da inteligência: como direcionar a sua organização e definir o perfil profissional
http://www.portalsbgc.org.br/sbgc/portal/desktopdefault.aspx?tabid=3430&src=-1&apptabid=3&docid=2000930

- Inteligência empresarial: muito além do BI
http://www.portalsbgc.org.br/sbgc/portal/desktopdefault.aspx?tabid=3430&src=-1&apptabid=3&docid=2000931

- Mercados preditivos: uma ferramenta essencial para vencer em mercados altamente competitivos
http://www.portalsbgc.org.br/sbgc/portal/desktopdefault.aspx?tabid=3430&src=-1&apptabid=3&docid=2000932


ARTIGO CIENTÍFICO: GC E CRM

- Uma visão da gestão de relacionamento com clientes no contexto da gestão do conhecimento

Trabalho científico aprovado pelos Comitês Acadêmicos dos Congressos CLADEA 2003 (Lima-Peru) e KM Brasil 2003 (São Paulo-SP). Artigo apresentado e publicado nos anais dos congressos.

http://www.portalsbgc.org.br/sbgc/portal/desktopdefault.aspx?tabid=3430&src=-1&apptabid=3&docid=2000933


SDS,

Daniela Ramos Teixeira
www.linkedin.com/in/dteixeira
http://dramos-teixeira.blogspot.com

sábado, 2 de agosto de 2008

O BI NUNCA VAI PENSAR PELA EMPRESA

Olá,

Segue, abaixo, meus comentários no portal SBGC, forum GC em TI, sobre uma matéria publicada na Info Corporate On-line - Como reconstruir seu projeto de BI - em http://info.abril.com.br/corporate/edicoes/54/arquivos/6628_1.shl


http://www.portalsbgc.org.br/sbgc/foruns/tm.asp?m=4988&forumid=35&mpage=1ᒰ


Chamou-me atenção nessa matéria:

"Nos últimos anos, os CIOs sofreram para colocar à disposição de suas empresas ferramentas de Business Intelligence capazes de buscar dados, gerar relatórios e publicar indicadores de negócio. Mas as empresas ainda não estão satisfeitas com o nível de informação que os sistemas atuais oferecem. Dizem que o BI ajuda a olhar a organização pelo retrovisor, mas não informa o que vem pela frente."

E fico pensando: quando vão aprender que O BI NUNCA VAI PENSAR PELA EMPRESA! O sistema só ajuda.

Recentemente, escrevi um artigo sobre Mercados Preditivos em que abordei essa questão do Forecasting e análises 'What-If'.

Segue a seção referente e para quem quiser ler o artigo na íntegra, está no meu blog em http://dramos-teixeira.blogspot.com/2008/06/mercados-preditivos-uma-ferramenta.html :

Análises “What-IF” e Cenários Analíticos com Recomendações

Além dos Mercados Preditivos, a construção de cenários com recomendações e as análises “What-If” destacam-se, também, como métodos para Forecasting.

A análise “What-If” é um método de manipular modelos quantitativos de situações de negócio na qual se especificam valores de decisão alternativos e hipóteses do ambiente. O software resolve o modelo e mostra os resultados preditivos (Davis & Kotteman, 1994).

O problema alertado por esses autores é que o usuário fica com uma ilusão de controle da situação e de que tudo se resolve com as análises “What-If”; o que é incorreto, pois programa nenhum substitui a capacidade analítica. As análises “What-If” são insumos para construir cenários analíticos com recomendações; ambos se complementam, sendo possível fazer recomendações sem as análises “What-If”.

Trabalhei em alguns projetos para clientes em que estruturei as análises de Forecasting num cenário de recomendações sem utilizar as análises “What-If”. Foram feitas projeções dos próximos passos da concorrência, dos parceiros em potencial e de crescimento de soluções no mercado. Os resultados para as empresas: investimentos assertivos para desenvolver novos negócios, respostas rápidas às ações dos concorrentes, criação de rede de valor para parcerias estratégicas e modelos de negócio colaborativos.

Hoje, poucos profissionais trabalham no nível de Inteligência Antecipativa. Isso inclui, também, empresas prestadoras de serviços de Inteligência Competitiva.

Quem acaba fazendo este trabalho é o consultor de negócios (às vezes terceirizado) ou o gerente de desenvolvimento de negócios, de produto; diretor nas médias empresas etc.

É importante alertar que a Inteligência Antecipativa, utilizando as técnicas de construção de cenários analíticos com recomendações para as empresas, pode ser estruturada no curto prazo, não só no longo prazo.

RESUMINDO: NADA VAI SUBSTITUIR A CAPACIDADE ANALÍTICA E DE FAZER PREVISÕES DO PROFISSIONAL.

SDS,

Daniela R. Teixeira
www.linkedin.com/in/dteixeira
dramos-teixeira.blogspot.com/