domingo, 18 de maio de 2008

Computação Móvel - Da geração 2,5G à segmentação tecnológica do público

A questão da mobilidade no setor corporativo atinge um patamar que transcende a coleta de dados e rápido acesso à informação. Através do SFA (Sales Force Automation), por exemplo, profissionais de vendas transmitem dados coletados no campo para os sistemas empresariais, integrando os seus handhelds com as redes corporativas e garantindo assim uma maior mobilidade da força de vendas (B2E).

É fato que a mobilidade estará mais presente no setor corporativo, através dos dispositivos eletrônicos móveis, integrando ainda mais o e-Business:

1.profissionais obtendo informações atualizadas instantâneas sobre compras, estoques de produtos, por meio dos handhelds, dinamizando os sistemas de distribuição (B2B);

2.clientes realizando transações financeiras nos PDAs, como os Palms; comprando CDs a preços promocionais, discando para um número como *115, diretamente do seu telefone celular (B2C).

No cenário atual, que caminha para uma estrutura tecnológica mais sólida, e de um crescimento dos investimentos e implementação de estratégias CRM nos últimos anos, há oportunidades para dinamizar os negócios Wireless e melhorar os processos buscando vantagens competitivas.

Como a mobilidade estabelece um poderoso canal de interatividade com o consumidor, a segmentação do público torna-se fator crucial para o alcance de resultados e o CRM pode ser útil na implementação de ações bem sucedidas. Mas o Edge Group não se refere apenas à segmentação clássica usada pelos departamentos de Marketing em que se analisam dados demográficos (como idade, sexo, renda), hábitos de consumo e atitudes. Para o Edge, é importante que as empresas entendam os hábitos tecnológicos dos seus clientes e prospects, o comportamento do seu público diante das novas tecnologias e façam o cruzamento da informação para direcionar o processo de tomada de decisão nos negócios Wireless e aprimorar as suas relações com os clientes.

Para tanto, é preciso estabelecer critérios de avaliação consistentes para os produtos Wireless que envolvam os graus de interatividade, mobilidade, facilidade, conectividade e inteligência.

A análise profunda do consumidor deve levar em conta:

- seu impulso/desejo para adquirir produtos high tech;
- seu grau de adaptação e facilidade para manusear as tecnologias;
- sua motivação para usá-las e
- a renda que dispõe (ou pretende gastar) para efetuar a compra.

Com esses dados, pode-se definir e agrupar as categorias de consumidores para formar nichos de comportamento mais adequados à qualquer empresa que vise conhecer melhor o seu cliente para aprimorar o relacionamento e gerar fidelização, não apenas vendas esporádicas. O conceito de CRM continua o mesmo. A diferença é que a segmentação tecnológica é a ferramenta que pode fazer a diferença.

Há um longo caminho a ser percorrido pelas empresas, principalmente se analisarmos o mercado brasileiro de Wireless e o estágio embrionário em que a maioria das empresas se encontra quando o assunto é integração dos dispositivos eletrônicos móveis e CRM Wireless. Contudo, foram dados os primeiros passos com a geração 2,5G e espera-se que os erros cometidos no desenvolvimento e implementação do CRM em projetos iniciais não sejam repetidos.


Perspectiva - Potencial de Crescimento

Mesmo que as tecnologias wireless¹ não sejam ainda tão populares por uma série de fatores tecnológicos como a multiplicidade de plataformas, padrões, redes e a questão da segurança para tráfego de dados em redes móveis, observa-se a existência de um enorme mercado potencial no país ainda inexplorado. Segundo a Spring Wireless, empresa de soluções Wireless, o mobile business deve movimentar cerca de R$ 3 bilhões no Brasil até 2003, com a compra de equipamentos e sistemas. A previsão é que os dispositivos eletrônicos móveis como PDAs e notebooks apresentem crescimento nos próximos anos, principalmente no setor corporativo, impulsionando o uso das tecnologias sem fio.

Esse avanço da tecnologia móvel está associado aos serviços Wireless da geração 2,5G que possibilitam rápido acesso à informação instantânea (fator tempo/lugar em qualquer hora e local). O fato da maioria das operadoras ainda não disponibilizarem dessa cobertura e a possibilidade de custos adicionais para as empresas (como compra de celulares mais caros e PDAs), não diminui a importância das redes baseadas na tecnologia 2,5G. Essa nova geração, que já é sinônimo de conectividade de alto desempenho, é capaz de suprir a demanda de muitas empresas que sonham com o escritório móvel, ou seja, velocidade e banda larga para interligar dispositivos móveis e as aplicações do B2C (business to consumer), B2B (business to business) e/ou B2E (business to employee).


[1] Tecnologia wireless, mCRM, mobile CRM ou CRM wireless – aplicação que permite velocidade no acesso a dados sobre prospects/clientes e interatividade instantânea dos clientes com a empresa, dentre outras vantagens.


Autora: Daniela Ramos Teixeira
Artigo publicado em 7/8/2002 www.edgegroup.com.br

Nenhum comentário: